Ibevar projeta crescimento no setor puxado por carros, motos e peças. Sem essa categoria, porém, varejo deve ter queda nas vendas

Vista de um pátio de veículos
Foto: REUTERS/David W Cerny

varejo ampliado deve crescer no terceiro trimestre deste ano, projeta o Instituto Brasileiro de Executivos do Varejo (Ibevar). Puxada por carros e motos, a alta deve ser de 2,15% na comparação com o 3º trimestre do ano passado. 

As vendas de carros, motos e peças devem subir 12,21% entre julho e setembro, segundo a projeção do instituto. Além desta categoria, apenas a de artigos farmacêuticos deve crescer (8,64%) no período, enquanto a projeção para todas as outras é de queda.

Os dados do Ibevar foram enviados com exclusividade para o CNN Brasil Business.

Livros, jornais, revistas e papelaria deve ser a categoria com maior queda – 11,26% –, seguida por móveis e eletrodomésticos, que deve ter queda de 11,02% nas vendas entre julho e setembro. 

Se confirmada a projeção do Ibevar, o varejo chegaria a outubro com o volume de vendas 6,14% superior aos nove primeiros meses de 2020. 

No varejo restrito, que excluiu automóveis, combustível e materiais de construção, a previsão é de queda para os todos os meses do terceiro trimestre. 

Para julho, o Ibevar estima recuo de 0,27% no setor, enquanto agosto deve trazer tombo de 2,26% e setembro nova queda, desta vez, um pouco maior: 2,68%. 

As vendas de hiper e supermercados devem cair 4,17% neste mês de julho e continuar o movimento de queda até setembro, quando o Ibevar estima recuo de 1,13% para o segmento.

Fonte: Por Leonardo Guimarães, do CNN Brasil Business, em São Paulo.