Estandes funcionam com ocupação máxima de 25% da capacidade, das 11h às 19h

A maior parte dos estandes de vendas de imóveis do Estado de São Paulo foi reaberta, neste domingo, segundo Basilio Jafet, presidente do Secovi-SP, o Sindicato da Habitação. O governo considerou o funcionamento dos plantões de vendas como atividade comercial, o que possibilitou a reabertura ao público.

Devido à proibição do funcionamento dos estandes, nas últimas semanas, parte dos lançamentos imobiliários destinados às classes média e alta foi postergada desde março. Esse público faz mais questão de visitar apartamentos decorados para conhecer detalhes dos imóveis antes de tomar a decisão de compra.

Já a venda de apartamentos compactos ou enquadrados no programa habitacional Casa Verde e Amarela é menos dependente da visitação de potenciais clientes.

“O movimento [de vendas] para as classes média e alta diminuiu de 30% a 40%. Com a reabertura dos estandes, esperamos que volte o ritmo de vendas anterior”, diz Jafet.

Em sua prévia operacional, a Plano&Plano informou que projetos previstos para março foram postergados para abril como consequência das restrições decorrentes da pandemia.

A Mitre adiou o lançamento oficial do projeto que previa apresentar, na capital paulista, e optou por pré-lançá-lo. Isso significou oferecer unidades apenas para clientes que já tinham pré-cadastro para compra.

Na sexta-feira, houve dúvidas, no mercado imobiliário, se as atividades dos estandes seriam consideradas como comércio ou serviços pelo governo. Caso tivessem sido avaliadas como prestação de serviços, a reabertura só poderia ocorrer a partir do dia 24.

O horário permitido para funcionamento dos estandes é de 11 horas às 19 horas, com ocupação máxima de 25% da capacidade.

Fonte: Por Chiara Quintão, Valor — São Paulo

Categorias: Notícias do Setor