Associação mantém projeção de crescimento para o ano, mas faz ressalvas em relação às externalidades

A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) divulgou nesta semana a nova edição da sua pesquisa Índice, elaborada pela FGV com dados do IBGE, apresentando os dados de faturamento do setor.

O estudo, anexo ao final do release, indica que em fevereiro de 2021, o faturamento deflacionado das indústrias de materiais em comparação com o mesmo mês de 2020, foi 8,6% maior no período. O resultado quando comparado ao mês anterior, representa queda de 1,4%.

A nova edição da pesquisa também aponta os dados consolidados de janeiro de 2021. No período, a indústria de materiais de construção teve faturamento 11,5% maior que o observado em janeiro de 2020. Analisando o desempenho do setor no acumulado do ano, o primeiro bimestre apresentou crescimento de 12,8% em relação ao mesmo período do ano passado.

Para 2021 a previsão da Abramat é de crescimento de 4% no faturamento total deflacionado dos materiais de construção em relação a 2020.

“Esta estimativa positiva se baseia no alto nível atual de atividade na construção civil, com produção em nível superior ao observado no início do ano passado. Contudo as externalidades terão papel crucial para o futuro do setor. É necessário acelerar a vacinação em todo país, bem como evoluir nas pautas de reformas que tramitam no Congresso Nacional para que possamos vislumbrar o crescimento projetado. Há ainda muitas incertezas no cenário doméstico e internacional”, comenta Rodrigo Navarro, presidente da Abramat.

Fonte: Sebrae

Categorias: Notícias do Setor