O Hospital Albert Einstein, de São Paulo, concluiu a compra do Hospital Órion, de Goiânia, que a partir de segunda feira passa a operar com a bandeira do Einstein. A transação marca a primeira aquisição do hospital paulistano e sua entrada numa outra praça do país. Uma expansão para outros Estados também está nos planos do Albert Einstein.

“Decidimos pela aquisição no ano passado, em plena pandemia, porque vimos a relevância nos atendimentos de covid desse hospital na região. Além disso, muitas seguradoras decidiram entrar em Goiânia tendo em vista a oferta de um hospital premium. Queríamos participar desse processo de mudança do mercado”, disse Sidney Klajner, presidente do Hospital Albert Einstein.

Desde 2018, os dois hospitais já tinham uma parceria. Toda a gestão médica, contratação de profissionais e concepção do hospital de Goiânia, inaugurado no fim de 2019, foram feitas pelo Einstein, que tem um braço de gestão hospitalar para terceiros. O empreendimento, que conta com 220 leitos, recebeu investimento de R$ 173 milhões, bancado por um grupo de incorporadores da região que também ergueu na mesma área um complexo imobiliário formado por torres comerciais, hotel e shopping center.

O processo de aquisição envolve um contrato de aluguel pago pelo Einstein aos incorporadores imobiliários. A receita do novo hospital no ano passado, seu primeiro ano de operações., não foi informada. Já o Albert Einstein apurou receita de R$ 3,2 bilhões 2020, valor 2,3% maior do que registrado em 2019.

Referência no país em casos de alta complexidade, o Einstein vem ampliando sua oferta de serviços de saúde. Já conta com cinco clínicas de atenção primária, que estão sendo contratadas por operadoras como a Qsaúde e empresas que oferecem o benefício a seus funcionários. Também tem unidades que prestam atendimento médico para casos intermediários, laboratórios de testes de covid e vacinação nos aeroportos de Guarulhos e Galeão.

Fonte: Por Beth Koike — De São Paulo.