Em março, CUB da construção civil cresceu 1,55%, encerrando o mês em R$ 1.599,58 por metro quadrado. Custo das construtoras com mão de obra e com o administrativo foi nulo

Custo Unitário Básico (CUB) da construção civil do Estado de São Paulo, apurado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e pela Fundação Getulio Vargas (FGV), teve alta de 1,55% em março frente ao mês anterior, encerrando o mês em R$ 1.599,58 por metro quadrado. No acumulado de 12 meses, houve alta de 11,18% e, em 2021, de 3,97%.

Na composição do índice, o custo médio das construtoras com mão de obra e com o administrativo (salários dos engenheiros) foi nulo, e a variação dos custos com material teve alta de 3,87% no período. No acumulado de 12 meses, os custos registraram, respectivamente: +2,77%, +1,62% e +26,18%.

Em março, as maiores variações do período foram: Fio cobre antichama isol. 750 V 2,5 mm² (8,16%), Aço CA-50 Ø 10 mm (7,15%), Disjuntor tripolar 70 A (5,91%), Tinta látex branca PVA (5,15%) e Porta lisa p/ pintura 3,5x70x210cm (4,57%).

As maiores variações medidas em 12 meses foram: Fio cobre antichama isol. 750 V 2,5 mm² (+64,00%), Aço CA-50 Ø 10 mm (+56,16%), Cimento CPE-32 saco 50kg (+37,33%), Tubo de ferro galv. c/ costura Ø 2 1/2″ (+34,67%) e Tubo PVC-R rígido para esgoto Ø 150 mm (+31,53%).

Nas obras incluídas na desoneração da folha de pagamentos, foi observada alta de 1,66% em março, face ao mês de fevereiro, totalizando R$ 1.493,45 por metro quadrado. No acumulado de 2021, o crescimento é de +4,27% e, em 12 meses, de +11,89%.

Fonte: Jornalista Yuri Mulato, AECweb.