Governo também anunciou permissão de 30 eventos-modelo com protocolos de segurança

O governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (7) a ampliação da capacidade de público presencial e horário de funcionamento do comércio e de serviços não essenciais a partir da próxima sexta-feira (9). Com o avanço da vacinação contra a Covid-19 e a melhora dos índices de saúde em todas as regiões do Estado, os estabelecimentos poderão funcionar até as 23h, com limite de 60% de ocupação, até o dia 31 de julho.

“Com mais vacinas para toda a população e a queda constante dos índices da pandemia, caminhamos passo a passo, de uma maneira gradual e segura, para a volta plena do funcionamento da economia em São Paulo”, declarou o governador.

A partir de sexta, o limite de horário de funcionamento das atividades de comércio e serviços passa das 21h para as 23h. A capacidade máxima de ocupação permitida, atualmente em 40%, também sobe para 60%. Ambas as medidas são amparadas por recomendação do Centro de Contingência, com base nos dados de evolução da pandemia.

As normas valem para estabelecimentos de comércio em geral, incluindo shoppings centers e galerias, onde o acesso de clientes pode ser feito até as 22h, com encerramento das atividades às 23h. O mesmo expediente deve ser seguido por serviços como restaurantes e similares, salões de beleza, barbearias, academias, clubes e espaços culturais como cinemas, teatros e museus. Todos devem obedecer aos protocolos setoriais de segurança sanitária previstos no Plano SP.

Permanecem liberadas as celebrações individuais e coletivas em igrejas, templos e espaços religiosos, desde que seguidos rigorosamente todos os protocolos de higiene e distanciamento social.

Retomada de eventos

O governador também anunciou que o Estado de São Paulo irá realizar, a partir de 17 de julho, 30 eventos-modelo com protocolos de segurança para a retomada dos eventos nas áreas de economia criativa, negócios, lazer, esportes e turismo. O objetivo é criar um planejamento seguro, responsável e baseado na ciência com o apoio do setor privado.

Entre eles, está a edição de São Paulo da Campus Party, que será realizada entre os dias 8 de outubro e 2 de novembro no Centro de Eventos do Anhembi, na zona norte de São Paulo, e a Feira da Economia Criativa, no Memorial da América Latina, na zona oeste.

“Com a melhoria dos indicadores da pandemia, vamos dar um novo passo na retomada econômica no Estado de São Paulo e vamos iniciar o acompanhamento de 30 eventos nas áreas de cultura, negócios, lazer, esportes e turismo. Os eventos serão realizados com testagem obrigatória e pessoas vacinadas, além de manter rígidos protocolos sanitários para segurança, controle e monitoramento dos participantes”, afirmou Doria.

Os eventos previamente definidos ocorrerão na capital e interior em ambiente controlado, com testagem de participantes e equipe, assim como acompanhamento pós-evento do Governo do Estado. O objetivo deste estudo é ajustar, a partir de situações reais, as regras que possibilitarão a retomada de um dos setores mais afetados na pandemia do coronavírus e que emprega milhões de brasileiros.

Os testes utilizados serão de antígeno, com resultado imediato, aprovados pela Anvisa, que diagnostica pessoas que estão contaminadas e transmitindo a Covid-19. Haverá limitação de público e serão progressivamente testados eventos mais complexos, de acordo com avaliações e acompanhamentos dos participantes pós-evento.

Queda de novos casos e internações

De acordo com os indicadores de Secretaria da Saúde, o total de novos casos, internações e mortes provocadas pelo coronavírus está em queda em São Paulo nas últimas semanas da pandemia em São Paulo.

O Estado tem registrado redução diária de internações em leitos de enfermaria e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). No interior do estado, a taxa de ocupação de leitos de UTI COVID-19 está em 69%. Na Grande São Paulo a ocupação é de 64%, e na Baixada Santista, 44%. Em uma semana houve redução nos três índices em todo o Estado de São Paulo: 20,6% no número de casos, 11,4% nas internações e 10,6% nos óbitos.

“Podemos dar o próximo passo de retomada segura e responsável no nosso estado. É possível fazer sim boa gestão pelas vidas e pelos empregos”, reforçou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

A última atualização do Plano SP previa a manutenção da fase de transição até 15 de julho. Com a nova prorrogação, as normas vão vigorar até 31 de julho, mas poderão ser revistas a qualquer momento conforme a tendência de novos casos, internações e mortes por Covid-19.

O toque de recolher continua nas 645 cidades do Estado, com horário entre 23h e 5h a partir de sexta. A recomendação de teletrabalho para atividades administrativas não essenciais e o escalonamento de horários para entrada e saída de trabalhadores dos setores de comércio, serviços e indústrias estão mantidos.

Imagens: Bigstock e Divulgação

Fonte: Por Redação, Mercado & Consumo.