Clientes poderão reduzir o valor da prestação em até 25% por seis meses; pausa valerá para beneficiários do auxílio emergencial ou seguro-desemprego

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, anunciou as possibilidades de pagamento parcial ou pausa nas prestações dos financiamentos imobiliários por até seis meses. “Em momento sensível para o mundo inteiro, estamos oferecendo essa possibilidade”, afirmou.

Os clientes poderão reduzir o valor da prestação em até 25% por seis meses. A redução poderá ser de 25% a 74,99% por até 3 meses e, para tanto, será necessário apresentar autodeclaração de perda de renda. O corte poderá ainda superar 75% mediante comprovação da perda da renda e avaliação pela Caixa.

Há ainda a possibilidade de pausa no pagamento das prestações por até seis meses para os beneficiários do auxílio emergencial ou para quem esteja recebendo segurodesemprego.

De acordo com a instituição, os valores não pagos durante a vigência da negociação serão incorporados ao saldo devedor do contrato e diluídos no prazo remanescente. “O contrato não está isento da incidência de juros remuneratórios, seguros e taxas. A taxa de juros e o prazo contratados inicialmente não sofrem alteração”, diz em nota.

A Caixa anunciou também a realização do 1º Feirão Digital da Casa Própria entre os dias 25 de junho a 4 de julho. Serão ofertados cerca de 180 mil imóveis, com a participação de mais de 600 construtoras.

Também estarão disponíveis 6 mil imóveis, que foram retomados pelo banco, com condições especiais de financiamento. “Será a primeira vez que a Caixa vai financiar 100% do imóvel pelo SBPE [Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo]”, afirmou Guimarães. “A partir de agora, todos os imóveis retomados serão financiados desta maneira. Ao invés de irmos para o leilão, gastar com uma série de questões operacionais, faremos desta maneira”, completou.

Concessões

Guimarães informou ainda que a Caixa concedeu R$ 52,4 bilhões em crédito imobiliário nos primeiros cinco meses deste ano. O valor representa alta de 41,1% sobre o mesmo período de 2020.

“E vamos para R$ 130 bilhões de créditos imobiliários em 2021. Ano passado, atingimos R$ 116 bilhões, que já foi o recorde da Caixa”, acrescentou.

Guimarães destacou ainda que apenas as contratações com recursos de poupança somaram R$ 29,5 bilhões nos primeiros cinco meses do ano, uma alta de 112,9% sobre o mesmo período de 2020, quando foram R$ 13,9 bilhões. Esse movimento faz parte da estratégia do banco, afirmou.

Guimarães, da Caixa: Papel do banco é ser líder também na classe média — Foto: Wenderson Araujo/Valor/Arquivo

“A Caixa é o banco da habitação, tanto usando recursos de terceiros, do FGTS, quanto recursos próprios”, disse. “Entendemos que é papel da Caixa ser líder não só na baixa renda, mas também na classe média”, acrescentou.

A linha de financiamento Poupança Caixa, lançada em março, já representa mais de 40% de todas as contratações imobiliárias do banco com recursos do SBPE, acrescentou.

A carteira total de crédito imobiliário do banco está em R$ 523,1 bilhões. São 5,76 milhões de contratos. “É 68% do mercado todo”, afirmou. O crescimento, frisou, se deu especialmente no segmento com recursos próprios.

Fonte: Por Mariana Ribeiro, Valor — Brasília.