Em assembleia na manhã desta quinta-feira, 26, trabalhadores da construção civil de Campinas decidiram pelo fim da greve nas obras da construtora MRV com importantes avanços para os trabalhadores

Em assembleia na manhã desta quinta-feira, 26, trabalhadores da construção civil de Campinas decidiram pelo fim da greve nas obras da construtora MRV com importantes avanços para os trabalhadores.

A negociação sobre a Participação nos Lucros e Resultados (PLR), do período de 2020 e 2021, garantiu pagamento de R$ 1.090,00 para o ano de 2020. Os valores serão repassados aos trabalhadores no pagamento do adiantamento de salário de 09/2021.

Já para o ano de 2021, o valor da PLR será de R$ 830,00 a ser pago no início do ano de 2022. O acordo garante, ainda, que os 70% dos dias de parados serão pagos pela empresa já na próxima semana e 30% serão compensados pelos trabalhadores. Todos os trabalhadores das obras paralisadas terão 90 dias de estabilidade.

A greve
A greve que teve início no dia 13 de julho contou com a mobilização e apoio de diversos setores da classe trabalhadora. Representantes do movimento sindical progressista de diversos locais do país estiveram presente nas assembleias.

O movimento estudantil de Campinas e região permaneceu firme, junto, desde o primeiro dia, mostrando que aqueles que ingressarão no mercado de trabalho amanhã estão fazendo a luta política desde já.

Os movimentos sociais, parlamentares progressistas e todos aqueles que fazem a defesa da classe trabalhadora também permaneceram ao lado dos trabalhadores e das lideranças do Sindicato da Construção Civil.

“Os trabalhadores se uniram em uma luta comum durante os últimos 45 dias e, ao sair dessa greve obtiveram mais que vitória financeira, conquistaram um ganho político, pois mostraram à MRV e ao grande capital financeiro, que quando a categoria está unida e focada, ela consegue resistir. E foi exemplo: sem baderna, sem truculência e muito respeito.
Dessa vez o capital perdeu para o trabalho”, afirma Agenor Soares, coordenador da subsede da CUT Campinas.

Os trabalhadores das obras da MRV de Campinas e Santa Barbara d’Oeste voltam a trabalhar na próxima segunda-feira (30/8), de cabeça erguida, e mandando o recado alto e bom som “Não mexa nos nossos direitos, pois se mexer cruzaremos os braços novamente! ”

Fonte: CUT Campinas