As raridades que cabem no bolso de poucos chamam a atenção pela extensa metragem e pela sofisticação

Fontvielle. É o pioneiro neste estilo, e o menor apartamento tem cerca de 300 metros quadrados Foto: CARVALHO HOSKEN/DIVULGAÇÃO

Já pensou em morar em uma mansão com todas as comodidades de uma casa e a segurança e os serviços de um apartamento? Pois o conceito de “mansões nas alturas” vem, aos poucos, ganhando o mercado imobiliário carioca. A joia dessa coroa vai surgir no Leblon, no último terreno disponível da Avenida Delfim Moreira, no número 558, entre as ruas João Lira e José Linhares, na chamada “quadríssima”, por ser um dos quarteirões mais valorizados do Rio. Ainda sem nome, o empreendimento que a Gafisa pretende lançar em setembro terá cinco apartamentos e uma cobertura que é a cara dessa tendência.

— A cobertura duplex é estilo casa. No piso inferior, ficam a piscina, a varanda gourmet e a cozinha. No piso superior, as três suítes. Em geral, a disposição dos cômodos nas coberturas é ao contrário, mas, em um empreendimento tão especial, o propósito foi dar ao morador a sensação de estar em uma mansão nas alturas — explica o CEO da Gafisa Rio de Janeiro, João Paulo Matos.

O valor geral de vendas (VGV) do empreendimento é de R$ 180 milhões e causou certa polêmica, já que associações de moradores tentaram, até o último instante, evitar que a casa de janelas marrons, construída na década de 1930, fosse demolida. Mas Matos garante que o novo edifício será um “presente para a cidade”.

— Nesse emprendimento da Delfim Moreira, estamos trabalhando com uma curadoria para criar uma galeria de arte na portaria. É um projeto lindíssimo — garante ele.

A Gafisa tem outro empreendimento na mesma linha, o Cyano, na Barra. Em uma área de quase 11 mil metros quadrados, a empresa ergue três blocos, totalizando 45 apartamentos, todos de altíssimo luxo, dos quais restam apenas 15 à venda. No mais exclusivo, as unidades têm 870 metros quadrados e contam com cinco suítes, varanda gourmet e sauna.

O sucesso das mansões nas alturas não surpreende o sócio-diretor da Inti Empreendimentos, André Kiffer. Quando lançou o Haus 34, em Botafogo, em plena pandemia, as unidades foram rapidamente vendidas, levando o mercado a focar nesse tipo de produto. Kiffer ressalta que o Rio tem carência de imóveis de alto luxo, embora, em alguns bairros, haja apartamentos antigos com metragens entre 200 e 300 metros quadrados. Mas os lançamentos são raríssimos, observa.

Já pensou em morar em uma mansão com todas as comodidades de uma casa e a segurança e os serviços de um apartamento? Pois o conceito de “mansões nas alturas” vem, aos poucos, ganhando o mercado imobiliário carioca. A joia dessa coroa vai surgir no Leblon, no último terreno disponível da Avenida Delfim Moreira, no número 558, entre as ruas João Lira e José Linhares, na chamada “quadríssima”, por ser um dos quarteirões mais valorizados do Rio. Ainda sem nome, o empreendimento que a Gafisa pretende lançar em setembro terá cinco apartamentos e uma cobertura que é a cara dessa tendência.

— A cobertura duplex é estilo casa. No piso inferior, ficam a piscina, a varanda gourmet e a cozinha. No piso superior, as três suítes. Em geral, a disposição dos cômodos nas coberturas é ao contrário, mas, em um empreendimento tão especial, o propósito foi dar ao morador a sensação de estar em uma mansão nas alturas — explica o CEO da Gafisa Rio de Janeiro, João Paulo Matos.

O valor geral de vendas (VGV) do empreendimento é de R$ 180 milhões e causou certa polêmica, já que associações de moradores tentaram, até o último instante, evitar que a casa de janelas marrons, construída na década de 1930, fosse demolida. Mas Matos garante que o novo edifício será um “presente para a cidade”.

— Nesse emprendimento da Delfim Moreira, estamos trabalhando com uma curadoria para criar uma galeria de arte na portaria. É um projeto lindíssimo — garante ele.

A Gafisa tem outro empreendimento na mesma linha, o Cyano, na Barra. Em uma área de quase 11 mil metros quadrados, a empresa ergue três blocos, totalizando 45 apartamentos, todos de altíssimo luxo, dos quais restam apenas 15 à venda. No mais exclusivo, as unidades têm 870 metros quadrados e contam com cinco suítes, varanda gourmet e sauna.

O sucesso das mansões nas alturas não surpreende o sócio-diretor da Inti Empreendimentos, André Kiffer. Quando lançou o Haus 34, em Botafogo, em plena pandemia, as unidades foram rapidamente vendidas, levando o mercado a focar nesse tipo de produto. Kiffer ressalta que o Rio tem carência de imóveis de alto luxo, embora, em alguns bairros, haja apartamentos antigos com metragens entre 200 e 300 metros quadrados. Mas os lançamentos são raríssimos, observa.

No Haus, as nove unidades têm 350 metros quadrados com quatro suítes e, como suprema exclusividade, piscina na varanda. O VGV do empreendimento é de R$ 35 milhões. O apartamento foi pensado para que o morador possa receber convidados ou ter toda a área de lazer sem sair de casa.

— Agora, na fase de personalização, os compradores estão optando, por exemplo, por ter uma academia de ginástica ou uma adega em casa — conta Kiffer.

Área generosa

Pioneiro nesse estilo, o Fontvielle, da Carvalho Hosken, na Península, tem apartamentos de 298 a 407 metros quadrados, todos com quatro suítes, além de coberturas duplex de 612 a 802 metros quadrados, que custam apartir de R$ 3,3 milhões.

— A procura por esse tipo de imóvel cresceu tanto que vamos inaugurar no Fontvielle uma segunda unidade decorada no dia 14 de agosto — informa o assessor de Marketing Institucional da Carvalho Hosken, Ricardo Corrêa.

Quem prefere uma mansão mais pé no chão também encontra opções no mercado. A Avanço Realizações Imobiliárias tem uma linha exclusiva desses casarões cinematográficos, nos condomínios Alphaville, Artlife e Riviera del Sol, na Barra, cujos tamanhos variam de 219 a 717 metros quadrados, com até cinco suítes, ao custo de até R$ 7 milhões.

As casas têm como diferenciais as suítes master e uma extensa lista de atrações: de banheira de hidromassagem e ducha dupla a piscina com iluminação, raia, deck molhado, cascata e ilha lounge. E o que mais pode ser acrescentado? O gerente Comercial da Avanço, Julio Borges, completa a lista:

— Os casarões têm ainda bancada dupla e closet, sótão com espaço multiúso, banheiro e terraço, cozinha com ilha e despensa, até dois quartos de serviço (uma suíte), espaço gourmet com churrasqueira e previsão de chopeira, academia com banheiro e garagem para até quatro carros.

Fonte: Por G.LAB.