A alta na procura por testes rápidos em farmácias e dos resultados positivos trazem claros indícios de uma terceira onda da covid-19 no Brasil, aponta a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma). Segundo a entidade, a semana de 17 a 23 de maio foi a quarta maior em volume de atendimentos e diagnósticos de coronavírus, com números que se aproximam do pico do mês de março.

As farmácias promoveram 324.690 testagens no período, 15% a mais em relação ao intervalo de 10 a 16 de maio. Até então, somente nas três semanas entre 8 e 28 de março havia registro de mais de 300 mil atendimentos.

Foram confirmados 78.486 casos, o equivalente a 24% das testagens. “Ainda é um número distante do pico de 91 mil casos na primeira quinzena de março, mas nos últimos dois meses o porcentual de casos positivos vem oscilando de 23% a 25%, o que reacende o sinal de alerta”, avalia Sérgio Mena Barreto, CEO da Abrafarma.

De acordo com a Abrafarma, apenas sete Estados apresentaram queda no índice de casos: Acre, Amapá, Ceará, Pará, Pernambuco, Piauí e Rondônia. As outras 20 unidades da Federação tiveram aumento, sendo que o Rio de Janeiro e Sergipe contabilizaram as evoluções mais preocupantes, com altas de 21% e 19%, respectivamente.

Desde a implementação do serviço, em abril do ano passado, as farmácias já realizaram 6.850.701 testagens, com 1.451.640 resultados positivos (21%).

Fonte: Isto é Dinheiro