Anvisa estuda ampliar e diversificar os tipos de atendimento nesses estabelecimentos

Imagem: EBC

A integração entre as farmácias, convênios médicos e o sistema público de saúde para ampliar o acesso da população a diferentes serviços deve se acelerar em um futuro breve. Com a pandemia da covid-19, as farmácias passaram a fazer testes de covid e, mais recentemente, a aplicar vacinas em parceria com as prefeituras.

Hoje, farmácias e drogarias estão autorizadas a realizar apenas testes rápidos para glicose e covid-19, mas a Anvisa estuda ampliar e diversificar os tipos de atendimento. “Vai haver muita parceria com farmácias e planos de saúde no futuro, o que tende a baixar o custo no sistema. A telesaude nos ajuda muito nesse sentido”, disse Sergio Mena Barreto, CEO da Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias), que representa cerca de 8.364 unidades farmacêuticas, de bandeiras como Drogaria São Paulo, Drogasil e Santo Remédio.

Como exemplo, ele citou países da Europa, Estados Unidos e Canadá, onde esse tipo de parceria já existe há décadas. “Se você for hoje numa farmácia na Italia, você pode fazer mapa, rolter, eletrocardiograma e outras coisas. Há 25 anos, eu entrei numa farmácia na Espanha e lá eles já faziam 20 testes rápidos com punção venal. Estamos, pelo menos, 25 anos atrasados em relação a alguns países da Europa, Canadá e Estados Unidos, onde testes, atendimento e consultórios na farmácia já são uma coisa corriqueira”, explica.

Primeiro passo

O primeiro passo foi dado com a parceria com as prefeituras para aplicação de vacinas de covid-19. Segundo Mena, a associação negocia com o Ministério da Saúde a utilização das farmácias na campanha de vacinação em todo o País.

“Nos colocamos à disposição do PNI [Plano Nacional de Imunização] e apresentamos em dezembro esse plano ao governo. Queremos fazer milhões de atendimentos. Neste momento, estamos fazendo poucos atendimentos porque as prefeituras nos chamaram”, diz.

A entidade desenvolveu até um aplicativo para facilitar o atendimento da população. Batizada de Vacina na Farmácia, a ferramenta indicará a farmácia mais próxima por meio de geolocalização. A pessoa se cadastra, escolhe o horário e recebe um QR Code para ser atendido com hora marcada.

“O aplicativo está pronto para ser lançado, falta só o PNI dizer ok para lançarmos. A ideia é que ele possa usar nas 5 mil farmácias brasileiras. Podemos aplicar 10 milhões de doses, pelo menos”.

Testes

Desde o início da pandemia, as drogarias brasileiras realizaram pouco mais de seis milhões de testes de covid-19, com preço médio de R$ 100. Desse total, 20,88% deram positivos para a doença.

A comercialização de testes, no entanto, representou aproximadamente 1% dos R$ 58 bilhões faturados em 2020.

Fonte: Por Larissa Deria, Mercado&Consumo.